A Ferrari tem o melhor carro, mas os pilotos…

Hamilton assume a liderança do campeonato ao vencer em MônacoEu acho que já escrevi isso aqui no Pô, meu!, mas se não escrevi, escrevo agora: nacionalismo e religião são culpados por, pelo menos, a metade das guerras da história da humanidade. Evito todos dois. Mas o locutor-que-entende-de-todos-os-esportes tenta de todos os jeitos manter acesa a chama nacionalista tupiniquim justificando o porquê de Felipe Massa, mesmo largando na pole, ter terminado em terceiro no GP Mônaco de ontem (25/mai/2008): Safety Car na pista no início da prova e a Ferrari nos boxes. O erro na Sainte Devote que lhe tirou a liderança não existiu.

Eu, como todo brasileiro, fui criado com a bola nos pés. Jogava futebol 10, 12 horas por dia nos finais de semana. Com 11 anos, Brasil campeão do mundo, sonhava participar da copa da Argentina, defendendo a seleção nacional. Acompanhei e torci por futebol até a final do Brasileirão de 2000. Mas isso é papo para outro artigo. Na Fórmula-1, única coisa que desde os nove anos me fazia parar com o futebol, aprendi também a torcer pelos pilotos brasileiros: Emerson, Pace, Piquet, Senna, Barrichelo. Mas Senna também me fez conhecer e admirar os detalhes da arte de pilotar. Rejeitei, não admiti, mas um dia me peguei sorrindo vendo com que maestria, aquele alemão sacana que tomou o lugar do nosso Senna, praticava aquela arte.

Na verdade, a Ferrari tem, disparado até esse momento, o melhor carro da temporada. Infelizmente, seus pilotos não são “uma geladeira”. E como não vejo arte em nenhum dos pilotos brasileiros do momento, quem me encanta desde a primeira curva em uma prova oficial é o Hamilton. Apesar de estar sendo veementemente cobrado por amigos leitores do Pô, meu!, me peguei domingo passado, mais uma vez, vibrando como qualquer torcedor fanático (mas não de religião), com a vitória de Hamiltão após as longas duas horas do GP de Mônaco.

Não ser nacionalista vazio não me impede de ficar bastante preocupado com a minha tese “ON” dos campeões brasileiros. O Piquetzinho tem sido um fiasco sem tamanho. Concordo com quem disse que ele ainda é um menino (22 anos – julho/1985) e que fez uma belíssima temporada na GP2 de 2006 com o vice-campeonato. Mas sigam o meu raciocínio, prometo não correr. Lewis Hamilton, um menino também (22 anos – janeiro/1985) disputou junto com Piquet Jr o Campeonato Mundial de GP2 em 2006. Em 2007, ano passado, Lewisinho dividiu a mesma equipe com o bi-campeão do mundo, o corredor que bateu Schumacher em seus dois últimos anos de Fórmula-1: Fernando Alonso. Tô devagar? Estão me acompanhando?

Naquele campeonato de 2007, o menino Hamilton chegou ao final do campeonato na frente do talvez, mais completo piloto da atualidade, o espanhol Alonso. Agora em 2008, “nosso” Piquetzinho divide a mesma equipe com o gênio (genioso?) Alonso. E o que vemos? Uma droga essa Renault, é verdade, mas é o mesmo carro do Alonso. “Nosso” menino tem tomado uma lavada do Alonso. Já se especula até sobre uma eventual demissão do brasileirinho. Chegaram junto comigo? É ou não é preocupante para nosso nacionalismo?

Felipe, que já foi brinquedo de criança de pré-escola (Massinha) pode até ser campeão esse ano, a Ferrari está ótima, e não me surprenderia, pois para quem viu James Hunt, Keke Rosberg, e Kimi Haikkonen serem campeões, pelo menos o número 2 da Ferrari é brasileiro. Seria isso nacionalismo? Deixa prá lá, estou torcendo mesmo é pelo Hamilton.

P.S. No campeonato mundial de GP2 de 2006 que Nelson Piquet Jr foi vice, o campeão foi Lewis Hamilton. Opa, não reclamem de eu ter tomado o caminho mais sinuoso. Se fosse só uma reta, a Ferrari chegaria na frente. ;-)

Você gostaria de receber as atualizações do Pô, meu! por e-mail? Clique aqui.

8 Comments

  • Leo disse:

    Meu comentário náo tem nada a ver com o seu post de F1.
    Na verdade, apos pesquisa no Google, vi que vc começou a fazer um curso de administracao a distancia pelo CEDERJ em 2006 e parecia bastante animado naquela época.
    Os post sobre esse assunto cessaram! Sei que deve ser um assunto pessoal, mas como interessado em fazer o vestibular do CEDERJ gostaria de saber se vc desistiu do curso e, se sim, quais foram as motivaçoes disto? Falta de apoio pedagogico? Fatores pessoais alheios a eventuais falhas do curso em si?
    Se pudesse me dar um feedback agradeceria muito, pois sera um empenho e tanto me aventurar num curso a distancia e saber da experiencia e da opiniao de alguem que participou/participa disto seria muito bom!
    Obrigado
    Leo

    Comentário do Pô, meu!
    Oi Leo,
    Continuo fazendo o curso de Administração da UFRRJ gerenciado pelo CEDERJ, estou no 5º período e gostando muito da experiência. Só lamento que ao invés de derrubar todos os conceitos tradicionais dos cursos presenciais e criar novos para um curso a distância, eles estão fazendo uma adaptação. Eu queria mais tecnologia, mais liberdade e que a velocidade do curso fosse flexível. Mas isso acontecerá mais cedo ou tarde. Nada supera o curso presencial com a convivência entre pessoas (aluno-aluno, mestre-aluno), as choppadas, baladas, estudos em grupo e etc. Mas na falta de tempo, o curso a distância chegou para ficar.
    Obrigado por sua visita. Volte sempre e sinta-se em casa.
    Abraços e sucesso,
    Nelson

  • FMatt disse:

    WOwwwwwwwwww!!! Atenção todos, Nelson Corrêa voltou a blogar no seu melhor estilo!!! Percebe-se logo quando alguém escreve com gosto =)

    Eu já não sei pra quem torcer na F1. Claro, torço pelos brasileiros, até pelo Barrichello se quer saber, mas estou torcendo mesmo é pelas disputas. Pela emoção.

    Pra quem não sabe o que quer dizer emoção, não adianta procurar no dicionário, assistam a melhor disputa de 2007 na F1 (e nela não está nem o campeão, nem o fenomeno Hamilton e nem o completo Alonso)

    http://www.youtube.com/watch?v=vtX1rjTRrTM

    Comentário do Pô, meu!
    Grande Franco!
    É essa força dos amigos que dá mais prazer ainda em algo que gosto mesmo de fazer! ;-)
    Sabe que você está certo, o Kubica é um piloto muito bom. Quem compartilha a telinha da TV comigo durante os Grande Prêmios sabe. porque já cansou de me ouvir falar, o quanto acho bom o polonês que carrega um “lastro” gigantesco. Já ouvi dizer que o nariz dele tem até passaporte para poder circular pelo mundo junto com o circo da F-1. :-D
    O Felipe também é um piloto muito bom. Ambos, Felipe e Kubica são jovens e têm muita possibilidade de se tornarem, um dia, campeões mundiais.
    Vamos ver se conseguem uma carteirinha do clube privê que tem como sócios, Fangio, Lauda, Prost, Senna e o “comodoro” Schumacher. Hamiltão já tá com a provisória. ;-)
    Abração,
    Nelson

  • Chantinon disse:

    Nelson,
    Falou tudo! Eu também sou “fanático” pelo Hamilton.
    Nem acompanho F1, muito menos futebol… mas uma coisa vou falar, essa Hamilton não vai ficar para a historia, ele é a história.

    E o que eu acho mais legal é ele ser negro e em nenhum momento ter falado sobre como foi tratado mal ou diminuido… Ele é a prova viva que esse negócio de racismo evapora quando o cara é competente. Infelizmente nosso país incentiva essa malandragem de usar o famoso argumento do “eu sou coitadinho”.

    Eu admiro tanto o Hamilton que tenho a impressão que quase sempre na corridas, quando ele não ganha é uma injustiça… Mesmo assim não vejo ele choramingando…
    Ele é o verdadeiro espirito esportivo!

    Comentário do Pô, meu!
    Chantinon,
    Posso complementar seu raciocínio?
    Ele passa uma alegria de quem pratica a arte dele como um menino que brinca de carrinho. Algo como o “menino” Robinho brincando com a bola. ;-)
    Abração,
    Nelson

  • Paulo Corrêa disse:

    Creio que você está sendo extremamente rigoroso com o nosso Massa. O afro-descendente britânico também cometeu um erro que lhe custou o pneu dianteiro direito, levando-o aos boxes, em circunstâncias que me pareceram mais banais do que a do Massa, já que quando este rodou os seus pneus já estavam muito mais desgastados, além de serem inadequados para aquele momento da corrida, do ponto de vista do clima. Não acho que a primeira entrada do safety-car tenha sido o fator decisivo para a vitória do Hamilton, cujo talento, em que pese indiscutível, talvez seja menor do que você atribui. Acho que você poderia rever, ou pelo menos reavaliar, os seus conceitos sobre Lewis Hamilton e Felipe Massa. Até a próxima corrida ou mesmo até o próximo vinho, o que, a propósito, já está merecendo.

    Comentário do Pô, meu!
    Oi Paulo!
    É verdade, estou sendo sim um pouco rigoroso com o Felipe. Ele é um piloto bom. Continuando andando em bons carros, chegará o dia que poderá ser campeão do mundo. A diferença dos erros dele para os do Hamilton é que normalmente o inglês erra buscando o limite, a superação. Felipe tem errado por medo. Particularmente em Mônaco, Lewisinho com um carro claramente inferior, resvalou no guard-rail (perfeitamente aceitável para Mônaco na chuva), parou para trocar o pneu e depois jantou todos os outros.
    A única vantagem de ser segundo em Mônaco é ganhar o troféu e um beijinho da Caroline, mas isso Hamiltão já tinha ganho ano passado, comentei aqui. ;-)
    Beijo,
    Nelson

    P.S. E como estamos merecendo. Ontem abri um Eral Bravo estragado. Caí em tristeza profunda por 8 minutos. :-D

  • Isa disse:

    Torcida tem que ser feita com vontade, não por obrigação patriótica.
    Independente de qual cor tenha a bandeira do participante, nossos aplausos devem ser direcionados para quem mais nos agradar, porque o esporte também é uma arte e também envolve muita beleza nas habilidades.

    Comentário do Pô, meu!
    Isa,
    Perfeito!
    E arte é arte. Nós, os humanos normais, só nos cabe aplaudir.
    Abração,
    Nelson

  • Rose disse:

    Nelson,

    Mais uma vez estou com vc.
    Realmente Hamilton é o melhor, ele encanta, é um colírio para os olhos do automobilismo.
    Apesar de novo, sabe o que faz e faz com brilho, ao invés do nosso Massinha, que na realidade é um Malinha!!!
    Igual a ele só Galvão Bueno.

    Comentário do Pô, meu!
    Rose, inacreditável. Você admira o Hamilton, desdenha do Massa e se irrita com o Galvão. Parece eu!
    :-D
    Os leitores mais antigos vão pensar que você é um comentarista fake que criei.
    Abraços e sucesso,
    Nelson

  • Rose disse:

    Nelson,

    De novo…estou com vc e não abro.
    Comentário perfeito, a Ferrari tem o melhor carro, porém a MacLaren tem o melhor piloto, o mais carismático, aquele que voltou a aproximar o torcedor da F1.
    Não vejo a hora de que chegue o dia da corrida,
    Dale Hamilton!!!!

    Comentário do Pô, meu!
    Oi Rose!
    Mais uma vez obrigado!
    Você entende disso hein!
    ;-)
    Abraços,
    Nelson

    P.S. No final desse ano tem que dar Hamilton e Obama :-)

  • Vocês viram a Ferrari V4 Concept Motorcycle???

    http://gizmodo.com/5054207/ferrari-v4-motorcycle-concept-if-tron-were-a-city-in-italy

    aff, to vendo que o futuro da Ferrari é na moto hein!

Deixe uma resposta