Ih… F….u!


Preâmbulo: Uma das astronautas do ônibus espacial americano Endeavour, que realizava nesta terça-feira(18/11/2008) sua primeira de quatro saídas ao espaço, perdeu sua caixa de ferramentas, informou a Nasa. (Aqui para ler tudo)

Heidemarie, a astronauta americana que inaugurou a era dos Perdidos (ainda não achados) no espaço, deve ter falado na sequência (sem trema, já na nova ortografia!) do seu passeio espacial:

- Damn dusty grease! (Droga de graxa suja!)

Ao limpar suas luvas brancas que ficaram sujas de graxa ao fazer um reparo externo na Estação Espacial Internacional. Mas para o azar dela, ao se preocupar com a luva suja de graxa, Heidemarie, que estava ao vivo nos telões da NASA, deixou sua caixa de ferramentas ir, literalmente, para o espaço.

- Ooopppsss… Damn fucking box! (Droga de caixa chata!)

Nesse momento, na sala dos astronautas aposentados da NASA, o comandante da Apollo 13, o octogenário Jim Lovell jogava gamão com seu colega e piloto daquela missão, o astronauta Fred Haise. Aquele “fucking” vindo da transmissão ao vivo, chamou-lhes a atenção e logo veio na lembrança do comandante Lovell, a quantidade de palavrões trocados entre ele e o comando de Houston na missão frustrada da Apollo 13. Os nobres velhinhos não fizeram por menos, e um deles, acabou maledicentemente dizendo:

- Damn women in space missions! (Mulheres não deveriam deixar seus fogões e irem para o espaço!)

Sikorsky S61 Sea King da VOTECImagino o aborrecimento da Heidemarie. Eu mesmo, quando dava meus primeiros passos como mecânico de helicópteros, um dia no final da tarde, lá no aeroporto de Macaé-RJ, me vejo sobre um Sikorsky S61 (Sea King) removendo um acessório da turbina (FCU – Fuel Controll Unit). Ao meu lado, certamente disfarçando estar fazendo alguma coisa, um velho e experiente mecânico toma conta do que estou fazendo com sua máquina de estimação.

Heidemarie tinha toda a NASA, e depois o mundo, olhando a caixa de ferramentas dela “cair” da sua mão. Eu tinha o bonachão e velho mecânico assistindo minha chave de boca, insistentemente, fugir da minha mão, lá do alto do imponente helicóptero de quase 30 passageiros, e cair no chão. Várias vezes.

Já cansado daquela cena patética, meu quieto guardião resolve me dirigir a palavra:

- Queria ver se você fosse mecânico de Catalina, ia ter que mergulhar no rio até achar a ferramenta perdida.

Eu descia pela escada de manutenção em busca da chave fujona pela enésima vez, com a cabeça baixa, não de vergonha, mas sorrindo com a minha incompetência para o ofício de mecânico de hidroavião.

Eu te entendi Heidemarie. Vira blogueira, vá.





Você gostaria de receber as atualizações do Pô, meu! por e-mail? Clique aqui.

10 Comments

  • Chantinon disse:

    Venhamos e convenhamos, essa Heidemarie é bem desajeitada para ser astronauta. Em outra situação essa barbeiragem poderia ser risco de vida para ela e outros.
    Vamos ver se ela se manca e vira blogueira :D
    Um 2009 entupido de história para você Nelson!!!
    Abraços

    • Nelson Correa disse:

      Oi Chantinon!

      A Heidemarie é do interior. Nada contra as mulheres do interior dos Estados Unidos, tenho restrições contra os homens do interior dos Estados Unidos. Ela é de Minnesota. Estive lá em maio de 2008 e em uma happy hour com o pessoal do treinamento que estava fazendo, alguém perguntou para o nosso instrutor por que o Sport Bar que estávamos só tinha homens. Ele fechou a cara e disse muito sério que as mulheres do local estavam em casa preparando o jantar para seus maridos.

      Tá vendo? Na hora de ir para o espaço, fica limpando a graxa que sujou a luva branca e acaba perdendo a caixa de ferramentas. Pelo que aprendi lá em Minnesota, as mulheres são treinadas para pilotar fogões. ;-)

      E que venham mais histórias!!!

      :-D

      Abração,
      Nelson

      P.S. Se essa caixa voltar do espaço, espero que caia em Minnesota. ;-)

  • Barts disse:

    Olha, eu sou mulher e tenho uma profissao bem masculina. Nao me lembro qtas vezes eu deixei “cair uma ferramenta da minha mão” (ou algo equivalente a), mas posso dar ceretza pro nosso amigo Chantinon que foram QUASE tantas vezes qt meus colegas de todos os gêneros.

    E mais, se a moça foi criada pra pilotar fogao e tá com uma caixa de ferramenta na mao, no meio do espaco sideral, ela é detentora de minha mais profunda admiracao!

    Eu tive um diretor a muitos anos que me disse uma coisa muito legal: “Os gerentes fazem m*rda igualzinho a voces…”

    Se pra ser astronauta uma pessoa nao pode ser desastrado momento nenhum, entao a humanidade deve esquecar a coisa de conquista do espaco, paremos as turbinas e vamos todos plantar milho!

    • Nelson Correa disse:

      Oi Barts!

      Fiquei curioso… qual seria uma profissão bem masculina? Nem cozinheiro, ou chefe de cozinha, é mais uma profissão bem masculina. Pode dizer?
      :-)
      Olha, eu gosto de pilotar fogão e vivia deixando as ferramentas caírem do alto dos aviões e helicópteros. E posso te garantir, comecei a fazer mais merda quando virei gerente.
      :-D
      Obrigado porter vindo.
      Abraços e sucesso,

      • Barts disse:

        Sou hair designer – quer profissao mais masculina que isso? :D

        Falando sério, eu trabalho na industria. Eu sou o unico ser de saias que habita de forma frequente as áreas produtivas. As (poucas) moças que cá laboram sao estagiarias ou adm.

        Muitas meninas hoje em dia se formam em engenharia. Mas poucas vao pro chao de fábrica.

        Em tempo – qt mais degraus hierarquicos eu calco, mais complexas se tornam as merdas que faço … e mais chances de faze-las aparecem.

        • Nelson Correa disse:

          Pô Barts, não sei se hair design é masculina, mas que tem muitos homens praticando, ah isso tem.
          :-D
          Caramba, você encara chão de fábrica? Olha, pode ser dureza, mas você tem ótimas histórias lá no seu blog sobre assuntos corporativos. Adorei e ri muito.
          ;-)
          Abraços e sucesso,

  • Bruno disse:

    Bom dia,
    eu trabalho aqui no hangar da VOTEC, que agroa é alugado pela BHS helicopteros, empresa pela qual trabalho. Estava pesquisando alguma coisa sobre a VOTEC e acabei achando seu blog. Você é de Macaé? Ainda temos alguns (hoje velhinhos também) mecanicos que aqui trabalham desde os tempos da VOTEC.

    qualquer coisa, manda um e-mail pra mim. [bruno_young], e fala que você é o tal cara do blog que a gente entra em contato.

    • Nelson Correa disse:

      Oi Bruno!

      Eu trabalhei na Votec primeiro na Av.Brasil, em Manguinhos, onde é hoje a Vila do João. Quando o governo acabou com a favela da Maré, nós nos juntamos com o pessoal da Motortec que ficava em Jacarepaguá. Claro que ia muito em Macaé, mas só para algum atendimento.

      Quem são os remanescentes da Votec que ainda estão trabalhando por aí?
      :-)
      Abraços e sucesso,
      Nelson

      P.S. Não entendi quando você escreveu:”… hoje velhinhos também…” Também por que? Você acha que sou velhinho? HAHAHAHAHA

  • Luis Gonzaga Nunes Filho (paulista ) disse:

    Ola boa tarde eu sou o Paulista tambem fui mec cat 2 pela antiga Votec e tenho muito orgulho de ter participado da empresa na época tenho muitas saudades e recordações dos amigos que nem sei mais onde andam . um grande abraço a todos

    • Nelson Correa disse:

      Oi Luis!

      Que legal você ter trabalhado na Votec. Eu trabalhei lá entre 1979 até 1986. Primeiro em Manguinhos e depois no aeroporto de Jacarepaguá. Onde e quando você trabalhou na Votec? Minha memória visual e de nomes é zero meu amigo, e não estou conseguindo me lembrar do seu rosto.

      Muito obrigado pela visita e pelo comentário.

      Um grande abraço e muito sucesso,
      Nelson

      P.S. 1) Desculpe demorar tanto com a resposta. A explicação e as desculpas estão aqui.

Deixe uma resposta